Azores.gov.pt - Portal do Governo dos AçoresEsta é uma presença online oficial do Governo dos Açores | COVID-19

Relançar as Empresas

Devido à crise pandémica, as empresas açorianas, na sua maioria micro e pequenas empresas, demonstraram algumas dificuldades devido à diminuição das vendas, em resultado do decréscimo do número de clientes, muitos dos quais confinados em cumprimento do dever cívico de recolhimento. Algumas empresas foram atingidas pela insuficiência de liquidez e numa maior dificuldade de concessão de crédito/financiamento.

A pedra angular para promover o crescimento da economia é a garantia de uma maior certeza aos agentes económicos, isto é, promover a estabilidade de políticas cruciais. Foi essa estabilidade que o Governo dos Açores pretendeu proporcionar às empresas açorianas, com as mais de 100 medidas já implementadas. Ao cuidarmos das nossas empresas estamos a proteger o emprego dos Açorianos.

No relançamento da atividade económica das empresas açorianas, o Governo dos Açores propõe reforçar o apoio em três áreas: capitalização, financiamento, e promoção.

Ao nível da capitalização das empresas, “chave” nuclear de solução para esta crise, considera-se necessária a criação de novos instrumentos mais robustos e estruturantes para aumentar a solvabilidade das empresas a médio e a longo prazo, o que implicará o desenvolvimento urgente de instrumentos de reforço do capital das empresas açorianas, designadamente pela constituição de fundos com apoio público.

Ao nível do financiamento, o Governo dos Açores oportunamente implementou linhas de financiamento com apoio público, que foram e são essenciais para assegurar a tesouraria de emergência e o fundo de maneio de reserva às empresas açorianas e ainda medidas de amortização de custos, como o caso dos regimes de layoff e das moratórias.

Uma terceira área de atuação, que se afirma na estratégia de relançamento das várias economias mundiais, em particular na economia da UE, é a que cuida da promoção desses mesmos mercados, ou seja, políticas de promoção do consumo do que é “açoriano”.

Impulsionar a recuperação da atividade das empresas

A recuperação da atividade económica será morosa, por força do elevado impacto causado pela pandemia COVID-19 nas economias mundiais, com particular atenção às economias europeia e nacional, dado o seu reflexo na atividade das empresas açorianas, nomeadamente no setor do Turismo, Hotelaria, Restauração e atividades afins.
Cientes de tal facto apresentamos neste subeixo medidas que contribuem para o necessário impulso da recuperação da atividade económica das empresas, mas que também visam alicerçar o novo paradigma da nossa economia açoriana, a apresentar no Eixo 5 ‘Transformar a Economia dos Açores’.

Saber Mais »

Incentivar a digitalização dos negócios

No atual contexto da pandemia COVID-19, verificam-se várias tendências que estão a ser aceleradas e que apresentam grande potencial para a inovação e para a digitalização dos negócios, como, por exemplo, o teletrabalho (trabalho à distância), a telemedicina e o ensino à distância, assim como o desenvolvimento do comércio eletrónico e dos serviços de entregas ao domicílio, a automação da produção, e todos os serviços de contactless ou touchless que se estão a tornar dominantes em todos os aspetos da vida.
A economia digital tem beneficiado consumidores e empresas, permitindo aos primeiros aceder a novos bens e serviços a preços mais competitivos e, aos segundos reduzir os custos de lançamento de uma empresa, mediante o acesso a plataformas de venda de terceiros, ou à venda direta através de lojas online.
O Governo dos Açores, em linha com os objetivos definidos na presente Agenda, pretende que as empresas açorianas acompanhem estas tendências. Para tal, propõe reforçar atuais apoios e criar novos para maior incentivo à digitalização dos negócios das empresas açorianas, contribuindo assim para uma maior valorização dos produtos e serviços regionais e consequente maior resiliência da nossa economia.

Saber Mais »

Apoiar a liquidez das empresas

Para mitigar o impacto económico da epidemia e diminuir o esforço de tesouraria das empresas açorianas, o Governo dos Açores já implementou algumas medidas de garantia da liquidez, de que são exemplo o apoio à atividade económica, o programa de manutenção de emprego ou a linha de apoio à economia COVID-19.
Não obstante, o Governo dos Açores, conhecedor de que a retoma da atividade económica mundial será morosa, em face dos prejuízos económicos causados pela COVID-19, propõe prorrogar a vigência dos atuais apoios e implementar novas e reforçadas medidas para uma mais célere reparação e recuperação da liquidez das empresas açorianas, contribuindo assim para o estímulo da nossa economia e mobilização do investimento privado nos Açores.

Saber Mais »

Apoiar as empresas na retoma da atividade

Face à pandemia COVID-19, a primeira prioridade do Governo dos Açores foi a segurança e a saúde dos Açorianos, preocupação esta que levou à suspensão da atividade económica de algumas empresas açorianas.
O desafio que ora se coloca ao Governo dos Açores é o de apoiar a retoma da nossa economia, sem descontrolar a pandemia. É este o objetivo que norteia a execução do calendário de desconfinamento em curso na Região e que progressivamente contribui para o relançamento da vida económica.
Atendendo à atual conjuntura económica, o Governo dos Açores propõe-se a disponibilizar incentivos às empresas açorianas, não só para melhor adaptação às exigências higiossanitárias impostas pela COVID-19, como também para o relançamento sustentado da atividade empresarial dos Açores, designadamente na preparação da transição digital dos negócios nas diferentes atividades e na promoção e diversificação das cadeias de distribuição e comercialização, bem como no reforço do investimento para reabilitação de espaços públicos verdes para fomento da atividade das micro e pequenas empresas açorianas.

Saber Mais »

Reduzir custos de contexo / Agilizar os procedimentos administrativos

O confinamento da população açoriana em suas casas com o objetivo de conter a disseminação da pandemia COVID-19 reduziu o consumo de forma expressiva, conduzindo a uma menor arrecadação de receitas, por parte das empresas, mas essa tendência decrescente não se fez sentir nos custos mensais, dada a natureza fixa e permanente dos mesmos. É, por isso, importante saber como economizar para amenizar os prejuízos económicos causados pela crise pandémica.
A fim de obviar o recurso ao endividamento por parte das empresas açorianas, em complemento às medidas apresentadas nos subeixos anteriores, o Governo dos Açores propõe levar a cabo várias outras iniciativas que concorrem para a redução dos custos de contexto na atividade diária das empresas, associada à qual está implícita uma agilização dos procedimentos da Administração Pública Regional.

Saber Mais »